Acesso à Informação Portal Brasil

Bibliotecas e bibliotecários

Luminária

De que é feita uma biblioteca? Alguns dirão que é da reunião de materiais bibliográficos para consulta, como livros, periódicos, teses e dissertações, em um prédio bem charmoso. Outros afirmarão que uma biblioteca do século XXI é tecnológica, acima de tudo, e a informação nela se dará por meio de blu-rays, livros digitais, tablets e pelo acesso à internet num edifício inteligente. Há, ainda, os que preferem a virtualidade: não lhes interessa uma unidade de informação tangível que ocupe espaço fora da nuvem. Todos eles, porém, esquecem-se do material mais importante para caracterizar uma biblioteca: ela é feita, imprescindivelmente, de pessoas. Das que prestarão serviços e orientarão buscas ao acervo (físico ou virtual) e também daquelas que usufruirão desses serviços e orientações. Aliás, a biblioteca é um lugar de pessoas que buscam. Buscamos guerra e paz, amor, comida, sossego, curas, informação, respostas...

A busca é uma necessidade humana e vontade bem-vinda em qualquer biblioteca.

Aqui no Imagem UFRJ oferecemos uma exposição que é feita de bibliotecas e, portanto, de pessoas. No mês do bibliotecário, e mais especificamente no seu dia, 12 de março, parabenizamos todos os que buscam... e, para ajudá-los nessa empreitada, decidimos que a primeira imagem de nossa exposição deveria iluminá-los.

O último a sair, por favor, não apague a luz.

Recriando Portinari

Paz

A obra de Cândido Portinari, grande parte dela revelando um cunho social, apresenta um artista que manipulou as tintas para mostrar as angústias, os sofrimentos e a cultura popular do povo brasileiro. E as mesmas tintas que mostraram ao mundo a genialidade do artista também o tiraram de nós.

Em 2013 Portinari completaria 110 anos e o Imagem UFRJ homenageia o artista com uma releitura de algumas de suas obras feitas por jovens integrantes do Clube dos Descobridores, um espaço de criação e troca de conhecimentos, localizado na Casa da Ciência da UFRJ.

Persona

Clementina de Jesus

Personalidades marcantes de nossa história. Pessoas ilustres que aprendemos a admirar pelo que representam. Personagens e máscaras que se revelam ao mundo externo. Podemos descrever todas as características anteriores como "Persona". Além disso, "Persona" é também uma seção do Jornal da UFRJ que dá nome a nossa nova exposição.
Aqui o visitante terá acesso a algumas das ilustrações que desde 2005 compõem o espaço que permite ao leitor do jornal resgatar um pouco da história brasileira e mundial através de um notável representante.

Musicoterapia na Maternidade Escola

Maternidade Escola
A prática da Musicoterapia vem apresentando resultados significativos em vários campos da Saúde Mental, Educação Especial, Reabilitação e Desenvolvimento Social. Contudo, a Musicoterapia na área Materno-infantil é um campo ainda emergente e, por esse motivo, faz-se necessário o investimento em pesquisas que possam sistematizar e organizar uma vertente teórico-crítica sobre a prática da Musicoterapia na área em questão.

Veia

Bastidores do espetáculo Veia
Imagens dos bastidores do espetáculo VEIA da Cia. de Dança Contemporânea da UFRJ que aconteceu no mês de julho de 2010 no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. Integram o projeto professores, funcionários e alunos da UFRJ, além de artistas convidados. Alguns momentos da fase de preparação e integração do elenco foram capturados pelo fotógrafo Marco Fernandes. Nessa fase os intérpretes buscam um estado de equilíbrio, de conexão entre interior e exterior, fundamental ao êxito do trabalho.

AmaMentAção

Posição clássica de mamada

A amamentação é arte, cultura, ciência... nos seres humanos o aleitamento materno não é instintivo ou inato, e sim uma cultura que precisa ser reconquistada.


UFRJ: cenário de transformações

Cidade Universitária
Os prédios da UFRJ contam um pouco do passado e do presente da instituição, numa exposição virtual que recolhe imagens de várias décadas da universidade.

Invasão da FNM: 40 anos

Estudantes em Passeata na Ilha do Fundão
A invasão do prédio da Faculdade de Medicina na madrugada de 23 de setembro de 1966 foi uma, entre tantas, das violações à autonomia universitária levada a cabo pelo regime militar. Quarenta anos depois, ela ainda marca a memória da universidade.

Corpo em Movimento

Bailarinas - Mostra de Dança

Corpo e movimento, a dança está presente em diversas experiências da universidade. Veja um pouco do trabalho da Cia de Dança Contemporânea Helenita Sá Earp/UFRJ e da Cia Folclórica do Rio/UFRJ.

Flores no Fundão

Quaresmeira - Flores Fundão

Presenças insuspeitas, elas ajudam a humanizar com beleza um campus não raro ao convívio.

Olhar do Estranhamento

Entrada do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais

A fotografia é uma arte, e em arte, o que faz a diferença são os detalhes. Através das imagens desta exposição, os fotógrafos da UFRJ captam o que a pressa nos impediu de ver, o que a recorrência escondeu, o que a nossa sensibilidade deixou de perceber.


UFRJazz Ensemble

Trombonista

 

Transitar entre mundos, construir insólitas pontes entre culturas e combinar linguagens parece ser a vocação do jazz...

 

 

60 Anos da Faculdade de Farmácia

Laboratório Domingos Freire da Faculdade de Farmácia

"No dia 9 de abril de 1947, às 14 horas no salão nobre da Faculdade Nacional de Medicina, foi empossado o novo Diretor da Faculdade Nacional de Fármacia, tendo esta entrado no gozo pleno de sua autonomia como unidade universitária."

 

Trecho da ata de posse do primeiro diretor da Faculdade de Farmácia da UFRJ, professor Mário Taveira.


Passagens

Escadaria de acesso a Capela de São Pedro de Alcântara
... Passagens para coisas e gentes, para sons e cheiros, para luzes e sombras, não existem em si mesmos, mas como precários (e belos) liames entre o fora e o dentro ou entre um cômodo e outro...

Pelos Mares da Vida

Iemanjá
Mesmo sendo a fotografia um registro estático do movimento, na exposição Pelos Mares da Vida você poderá contemplar a força, o ritmo e a leveza da companhia de dança da UFRJ, aplaudida por mais de 90 mil pessoas, na abertura dos Jogos Pan-americanos de 2007.

Cotidiano

Estudantes

"O que se faz ou sucede todos os dias; diário" - essa é a definição do substantivo masculino Cotidiano, segundo o Dicionário Aurélio. Nesta exposição, intitulada com o mesmo nome, você poderá visualizar por meio das 15 fotografias, detalhes do dia-a-dia de uma das maiores universidades do país, a UFRJ.

Entre e confira.

Obras: Carlos Zilio

Quem tem medo de verde, amarelo, azul e branco e de Barnett Newman? I - Carlos Zilio

Carlos Zilio, artista plástico e professor da Escola de Belas Artes (EBA) da UFRJ, nos mostra como característica central do seu trabalho o fato de se "autopensar" de modo ininterrupto - da arte engajada dos anos 1960, quando lidava com a criação de objetos, transitou para o suporte por excelência da tradição artística: a pintura.


Paisagens Neuronais

Explosão solar na retina do camundongo

    A Casa da Ciência da UFRJ expõe, de 09 de janeiro a 15 de fevereiro de 2009, 50 imagens inéditas e 20 fac-símiles que mostram a estrutura e o funcionamento do cérebro. A exposição Paisagens Neuronais traça a trajetória do conhecimento sobre o sistema nervoso do início do século XX até hoje. Por meio de técnicas de coloração, as "paisagens" ganham efeitos visuais de cor e luz que permitem a relação da ciência com a arte, principalmente a pintura abstrata.

    A ciência observa a realidade para compreendê-la. No entanto, objetos fundamentais nem sempre podem ser vistos a olho nu. Em 1906, foi concedido o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina a Santiago Ramón y Cajal, por suas descobertas sobre a estrutura básica do sistema nervoso, através do microscópio. Ainda hioje utilizamos sua metodologia: olhar e desenhar, olhar e fotografar, olhar e interpretar...

    Mas os avanços da ciência oferecem novas técnicas para visualizar as complexas micropaisagens neuronais que formam a base da nossa inteligência. Em Paisagens Neuronais, 50 imagens de investigação científica de vanguarda ilustram a evolução do conhecimento do sistema nervoso, desde os tempos de Cajal, comparando-as a 20 fac-símiles de desenhos realizados por ele e seus discípulos. Confira a bibliografia no site www.casadaciencia.ufrj.br

    Os desenhos de Santiago Ramón y Cajal e outros pioneiros em neurociências possuem extraordinária importância não apenas por sua beleza e valor artístico, mas também por serem cópias fidedignas de preparações histológicas que mostram a microorganização do sistema nervoso, como um mapa que contém as conexões dos neurônios e os caminhos dos impulsos nervosos.

Estátuas e Esculturas da UFRJ

Estátua da Caridade

Tu és / Divina e graciosa / Estátua majestosa / Do amor / (...)

Os versos de A rosa, valsa composta por Pixinguinha, com letra de Otávio de Souza, nos fazem pensar em Pigmaleão que, apaixonado, clama à Afrodite, deusa do amor, por um sopro de vida em sua mais bela criação, a escultura Galatéia. As estátuas têm esse poder, apaixonar aqueles que as vislumbram em sua essência.



Imagens de agosto

Marcelo Land e Sylvia Vargas
A partir de agosto, inauguraremos uma galeria de imagens especialmente selecionadas pelos nossos fotojornalistas. Diariamente, serão inseridas novas fotos, permitindo aos nossos visitantes uma percepção mais aguçada sobre o dia a dia de nossa universidade.

Calouros

Caloura da Escola de Belas Artes

Ingressar em um curso universitário pode representar um rito de passagem; é o caminho que levará o adolescente à fase adulta. Um momento a ser celebrado. Para não esquecermos nossas raízes indígenas, pintamos nossos corpos em comemoração a essa etapa de nossas vidas, homenageando aqueles que nos precederam e nos originaram, marcando com cores fortes nossa cultura.

Imagens de Setembro

Fachada do Museu Nacional

No mês da primavera a UFRJ completa 89 anos. Aqui no Imagem, além das fotos que mostrarão como a universidade vai comemorar a data, teremos o registro das pessoas e unidades que contam um pouco da história da instituição. Tudo através das lentes de nossos fotógrafos.

Imagens de Outubro

O ator Mckeidy Lisita na peça Café com Croissant

Em outubro duas importantes atividades se iniciam na Universidade Federal do Rio de Janeiro, tornando-a ainda mais dinâmica. Para os que buscam vaga na instituição, haverá o início das inscrições para acesso aos cursos de graduação. Já aqueles que fazem parte do corpo discente terão a possibilidade de participar da XXXI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural (JIC 2009). O Imagem UFRJ direcionará as lentes das câmeras fotográficas para esses e outros eventos, como não poderia deixar de ser.

Ilustrações

Saudade da terra seca

O espaço da Ilustração no Jornal da UFRJ

Desde sua primeira edição, em julho de 2004, o Jornal da UFRJ sempre deu destaque ao trabalho de ilustradores como complemento fundamental a seu conteúdo, seja crítico, explicativo ou simplesmente estético. Essa é uma tradição que vem dos primórdios da imprensa no Ocidente, onde as ilustrações sempre ocuparam páginas de jornais, revistas e panfletos. São expressões visuais das informações que acompanham análises de conjuntura, entrevistas, perfis de personalidades, crônicas e artigos. A ilustração deve exercer uma "coautoria", e não a simples redundância, enriquecendo a leitura e estimulando a reflexão do leitor.

Imagens de Novembro

Células embrionárias mostradas em visor

O Imagem UFRJ traz mais uma exposição mensal sobre a nossa universidade. Nela os diferentes olhares de nossos fotógrafos revelam o quão diversa pode ser nossa instituição.

Imagens de Dezembro

O voo do pássaro
Encerramos o ano de 2009 com a exposição que nos revelará dezembro. O mês traz em seu início um importante evento: as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Realizadas nos dias 5 e 6, as provas constituem a primeira etapa do Concurso de Acesso aos Cursos de Graduação 2010 da UFRJ. Desejamos boa sorte aos participantes e apresentamos a universidade, em algumas imagens, a todos aqueles que desejem conhecer um pouco mais sobre a instituição.

Crianças Guarani-Mbya e A`uwê-Xavante

Menina Guarani na Serra do Mar

William Santos é um fotógrafo da ternura. É isso que nos vem à mente quando percorremos as fotos que compõem esta exposição. Não apenas da ternura como uma expressão suave do afeto às pessoas numa romântica ou idílica visão de mundo. Não, ternura pela eleição de olhares significantes de crianças indígenas, que nos fazem indagar o que é feito à infância de seus povos. É uma indagação indizível, se descrita pela voz dos descobridores, dos colonizadores. Mas, se a toda descoberta pressupõe-se um descobridor e um descoberto, quem dos que se entreolham através destas fotos se fará descobrir? A exposição é um convite a um encontro de vidas, sem nenhuma pretensão "antropologizante".  São imagens extraídas do cotidiano de aldeias indígenas que ternamente nos capturam o olhar.


 

Campus UFRJ-Macaé

Entrada do Polo Universitário de Macaé
Num lugar onde, em outros tempos, estiveram as pegadas de Darwin e outros desbravadores, vivíamos, um tempo das nossas vidas, em cabanas à beira da praia, no que parecia só diversão de meninos e meninas. Jovens que se reuniram em torno de algo maior: o conhecimento da fauna e flora da região norte fluminense, vegetação pouco conhecida cientificamente neste lugar perto e distante da capital.

HUCFF: 60 Anos de projetos e incertezas

Construção do Hospital Universitário

Esta exposição aborda projetos e escombros. Narra, em fotos, um pouco da história da construção do então Hospital das Clínicas da Cidade Universitária, iniciada na década de 1950 e da demolição da Ala Sul do, hoje, Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Já em 1967, o projeto de 220 mil metros quadrados foi reavaliado e optou-se pela inauguração de apenas metade da edificação, em 1º de março de 1978. A Ala Sul jamais será concluída o que deixa esta parte da estrutura, já fora de qualquer projeto hospitalar, sem a adequada conservação. O rompimento de dois pilares, em 21 de junho de 2010 precipitou a decisão por sua implosão.

Residência Estudantil

Residência Estudantil

A Residência Estudantil da Cidade Universitária está passando por sua primeira reforma geral em 40 anos. As obras começaram em fevereiro de 2014 e metade da primeira etapa já está concluída. De acordo com a Superintendência Geral de Políticas Estudantis (SuperEst) da UFRJ, a ala em reforma poderá ser ocupada até o final do ano.